Sem categoria

Projeto BLACKJACK

 O Pentágono está construindo uma frota de pequenos satélites espiões. Batizada de Blackjack, a constelação de satélites irá fornecer às forças militares dos EUA um sistema de comunicação de alta velocidade, grande cobertura e conexão persistente. A Darpa, agência de pesquisa e projetos avançados do departamento de defesa dos EUA, está se preparando para demonstrar as características dessa rede orbital similar à Starlink,

O conceito e objetivos básicos são os mesmos: uma constelação de satélites em órbita baixa (LEO, Low Earth Orbit), criando uma rede autônoma de alta velocidade, altamente conectada e com cobertura persistente e resistente.

O primeiro satélite experimental será o Mandrake 1, um “cubesat” (satélite de pequeno porte em forma de cubo) com “chips de supercomputador”. A missão Mandrake 2 usará dois cubesats para demonstrar a transferência de dados entre satélites usando links ópticos. E um experimento chamado Wildcard irá demonstrar a comunicação entre os satélites e rádios em solo. As missões serão comandadas por um sistema autônomo de gerenciamento de missão, batizado de “Pit Boss”.

Com o Projeto Blackjack, o Pentágono quer pequenas redes de malha via satélite. Os satélites do Projeto Blackjack substituiriam um satélite por uma rede de vários, o que criaria um sistema mais resistente em tempos de guerra. Os primeiros satélites de teste serão lançados em 2021.

O Projeto Blackjack está desenvolvendo enxames de pequenos satélites que poderiam substituir os grandes e caros satélites que suportam atividades militares dos EUA em todo o mundo. O sistema autônomo de gestão de missões que mantém a constelação funcionando e os dados fluindo entre eles e as tropas, tudo sem interação humana, também serão desenvolvidos.

Uma das novas tecnologias espaciais mais inovadoras dos últimos anos é a ideia de redes de malha, com satélites pequenos e econômicos. As redes são projetadas para cobrir toda uma região, ou planeta, com satélites que se comunicam não só com estações terrestres, mas também entre si. Satélites dentro da rede saltam dados uns dos outros em vez de uma estação terrestre, tornando a distância total de viagem menor. O sistema também é capaz de se autoajustar para manter a cobertura se um satélite cair.

Fonte: C4ISRNet e https://olhardigital.com.br/ciencia-e-espaco/noticia/agencia-dos-eua-quer-criar-versao-militar-da-starlink/100631

Padrão